Nos passos de Jesus: Romaria Vocacional reúne mais de 30 mil pessoas

“O Monsenhor João Benvegnú é grande porque, em sua vida de padre, chamou as pessoas não ao encontro dele, mas foi uma luz que conduziu as pessoas para Cristo”. Foi assim que dom Rodolfo Luís Weber, arcebispo de Passo Fundo, destacou o exemplo daquele que é chamado Servo de Deus durante a 32ª Romaria Vocacional que, na última semana, reuniu, em São Domingos do Sul, mais de 30 mil fiéis. Motivados pelo testemunho de vida do Monsenhor e guiados pelo desejo de celebrar a sua história e a sua atuação, os milhares de romeiros celebraram, através do Tríduo Preparatório, de 03 a 05, da procissão luminosa na noite do dia 06 e da própria Romaria, no domingo, dia 07, o lema “Servo de Deus nos passos de Jesus”.

Busca pelo Senhor
A Romaria que, neste ano, começou a ser preparada com antecedência de quatro meses, é a oportunidade de a comunidade olhar para a história do sacerdote – que faleceu em 1986 – e observar o seu testemunho de vida de evangelização, motivação para as vocações sacerdotais e, também, de olhar para o próximo com um olhar bondoso. Para dom Rodolfo Weber, que participou das atividades na sexta-feira, no sábado e, também, no domingo, a Romaria Vocacional se constituí em um processo de encontro com o Deus. “No dia que a Igreja celebra a solenidade da manifestação de Cristo como luz das nações, a comunidade se reúne para a Romaria e, através do Evangelho, podemos refletir e rezar este momento.”, comentou durante a celebração e destacou, ainda, o exemplo do Monsenhor. “Nesse mundo não basta estarmos aqui, precisamos viver de uma maneira que seja de acordo com a de Jesus. E estamos aqui para iluminar a nossa consciência, o nosso coração e as nossas atitudes. Sair de nossa casa já é um movimento de busca, de procura, de reconhecer Deus. Temos certeza que este é um lugar importante de encontro com o Senhor porque encontramos aqui, nesta cidade, um personagem que continua sendo importante para a busca por Deus”, colocou.

Preparação, entrega e envolvimento
Para o pároco de São Domingos do Sul, Claudir Pressi, a mobilização da comunidade é o diferencial da Romaria Vocacional.  “Trabalhamos com o objetivo de manter o legado espiritual do Monsenhor João Benvegnú. As equipes foram sonhando e imaginando como fazer a Romaria e, nesse sentido, estruturamos uma programação especial. Ao todo, foram mais de 600 pessoas que colocaram seus talentos à disposição gratuitamente para que tudo saísse dentro do planejado”, comentou. Ele, que pela primeira vez está à frente da celebração, enfatizou, a sua alegria em poder participar de um momento importante para a Igreja da Arquidiocese. “Na minha vida, como padre e antes disso, sempre tive trabalho de encontro com jovens e de formação. Então os números não assustam, alegram. Alegram, mas comprometem. É desafiador e é uma experiência maravilhosa ver as pessoas se doando e se entregando a um trabalho. Me sinto feliz de contribuir e servir com essa porção do povo de Deus. Sentimos esses dias como dias de graças e de bênçãos. Nossa programação buscou apontar o olhar para a luz que é Jesus”, concluiu.

Programação
A programação do Tríduo preparatório envolveu não apenas a cidade de São Domingos, mas toda a região que, unida, celebrou os temas  “Sal da Terra e Luz do Mundo”, “Por uma cultura de paz” e “Nos passos de Jesus”. No sábado, a comunidade celebrou, pela manhã, missa com a presença dos cavalarianos. Durante a noite, dom Rodolfo Weber presidiu a missa da Procissão Luminosa – atividade já tradicional na Romaria – que acolheu, também, a reza do terço e a Bênção do Santíssimo. Por fim, no domingo, a comunidade pode celebrar a primeira missa do dia às 07h30. Depois, às 10h, celebrou a Missa da Saúde, também presidida pelo arcebispo e, durante a tarde, foi celebrada a missa com as bênçãos do Servo de Deus, Monsenhor João Benvegnú.

Sammara Garbelotto
Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Passo Fundo
imprensa@arquidiocesedepassofundo.com.br

Categoria: